Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Small Church

Small Church

A aguardar pela ciência

Temos uma filha de 7 e outra de 11 anos. Por enquanto, não as iremos vacinar. Os argumentos apresentados pela DGS são insuficientes ou somente não fazem sentido.

Além disso, não existem ainda certezas quanto à inconsequência da tecnologia usada (RNA mensageiro) no futuro de crianças. Expliquei-o à de 11 e ela percebeu. Disse-lhe ainda que outros pais, como os dos colegas, poderão ter outra opinião e que isso nunca deveria ser motivo de discórdia.

Espero que não haja discriminação do Estado entre crianças vacinadas e não-vacinadas. Creio que não vai haver mas o meu otimismo tende a ser um dos meus maiores defeitos.

Não era melhor esperar?

Os especialistas/cientistas que, no início da pandemia, diziam que o uso de máscara não fazia sentido ou, pior, era contraproducente, e que garantiam que com 70% da população vacinada, incluindo a totalidade dos grupos de risco, estaríamos prontos para retornar à normalidade, e que agora, quando os 70 chegam quase aos 90%, e os grupos de risco estão todos vacinados, defendem a manutenção das restrições e não descartam novos confinamentos, esses mesmos especialistas/cientistas garantem, com a mesma convicção, que não há qualquer problema em vacinar crianças. Dado o histórico de certeza não confirmada, não seria mais sensato esperar, tendo ainda em conta que as crianças são o grupo menos atingido pelo vírus? A verdade é que o medo não é bom conselheiro e os tempos não estão para sensatez.  

O Dinheiro Não Compra Tudo

Pode haver milhões para Rembrandts e Picassos; para advogados de defesa em Armani; para sistemas informáticos de "deslocalização" dark de "preço exorbitante"; e até para Bugattis e chocolates Regina.

Mas há coisas que o dinheiro não compra. A ver bem, o que conta na vida, é se temos um estilo apropriado, em caso de nos baterem à porta de surpresa logo de manhã, quer seja para o "Jogo da Mala", de António Sala; quer para uma conversinha com a Judite*.

estilo.jpg

Ora, Rendeiro, com aquele pijaminha, por mim, já está mais que condenado! Perdeu o direito de estar livre, ainda que confinado em casa. Devia ter optado por um modelo com um design diferente, que escondesse mais a cara e lhe permitisse enfrentar os media com estilo. Recomendo, no C&A online a €24,99. Bastante em conta.

(*E não me refiro a Judite de Sousa.)

Areia nos Olhos

Ministra do Trabalho: "Se bem me lembro, entre 2011 e 2015, o salário mínimo em Portugal aumentou 20 euros".

Não me lembro, mas é capaz de ter sido assim. Mas "se bem me lembro", os "20 euros" desse tempo, acompanhavam uma inflação de 0% ou menos, pelo que 20 euros seriam um aumento real.

Já o do seu Governo, com crédito europeu a rodos e de rédea livre desnorteada - que havemos de pagar que nem uns ursos - está com uma inflação muito mais alta do que a do "aumento" (alimentação, combustíveis, energia, habitação, etc.), mesmo que na sua cabeça e da do Primeiro Ministro, igualmente desnorteadas, e nos media de sentido único, não estejam.

Outra questão, já que menciona, é o "ordenado médio" que já está quase diluido pelo "mínimo". No tempo em que aumentou "20 euros", havia uma faixa acima dos mínimos a que chamavamos "o salário médio de Portugal". Agora, graças ao seu competente Governo, os "mínimos", que têm a garganta ainda mais entalada do que "entre 2011 e 2015", já apanharam os "médios" que não aumentam nem que a vaca morra tuberculosa, de tanto tossir. Ou seja, na prática, os "mínimos" não sobem e os "médios" descem.

Há momentos na vida em que perdemos excelentes oportunidades de estar calados.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D