Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Small Church

Small Church

Quem tem autoridade para aplicar a Lei?

Segundo o advogado o crime é de desobediência a uma ordem de autoridade competente e não de desobediência à lei. “Ou seja, é crime não cumprir com a ordem da autoridade que ordena que se cumpram as medidas legitimamente adotadas ao abrigo do estado de emergência“, nota José Luís Moreira da Silva.

Bem, temos de estar gratos aos Polacos e Húngaros por bloquearem o orçamento da União Europeia, e através disso o tal pacote da Bazuca Financeira de apoio. É que como se lembram, o recebimento das ajudas financeiras estava dependente da observância do Estado de Direito. E um Governo que decreta crimes sem ter autoridade para tal, e por conseguinte termos cidadãos a ser julgados por leis inconstitucionais, não me parece ser muito respeitoso do Estado de Direito. Portugal estaria assim sujeito ao não recebimento dos apoios europeus.

Obrigado Iliberais húngaros e polacos, por defenderem os interesses de Portugal.

Presidenciais 2021

Essa coisa da política passa-me a maior parte das vezes ao lado. Por causa disso, com informações a vulso, percepciono mal as realidades.

mms.jpg

Mas se bem entendi, o Bloco de Esquerda prepara-se para concorrer com duas candidatas: a conhecida Marisa Matias (foto da esquerda) e uma outra mulher, que tenho visto em outdoors e que, a avaliar pela fisionomia, será filha de Marisa Matias. Até o nome é igual pelo que não me restam dúvidas.

Não gabo a estratégia. Pelo sim, pelo não, votarei Marcelo. Este é o candidato que melhor abraça velhinhas vítimas dos fogos de Verão, o que me parece bem mais útil.

Errado

Pinto da Costa e a ausência de público na Taça: "Estão a matar o futebol"

Errado: O futebol foi condenado à morte no mesmo instante em que o transfomaram numa indústria com economia de escala.

O «Bloqueio dos Maus» à Bazuca Europeia

Artigo muito interessante de Francisco Sarsfield Cabral, que ajuda a entender o que significa o veto polaco e húngaro, e qual a razão de ter acontecido.

Basicamente o chico espertismo do Parlamento Europeu de tentar apanhar os «maus» redundou neste resultado. 

Este episódio oferece-nos reflexões sobre 3 pontos:

  1. Qual é a importância para nós do Estado de Direito como elemento defensor e protector do cidadão e dos seus direitos, e com isso, estaremos abertos a diferentes tipos de sistemas democráticos?
  2. Qual o valor da Lealdade? A Lealdade é um valor que legitima uma ação ou decisão como algo bem intencionado. Podemos não concordar com algo, mas se decidido em Lealdade não lhe reconhecemos mal. Por isso pode a Lealdade ser espezinhada em nome de valores maiores? E quais são esses valores?
  3. É legítmo e leal, usar um mecanismos de ajuda financeira em tempos de crise pandémica, maior crise das últimas décadas na Europa, para fazer jogo político? Submeter a Ajuda ao calculismo político?

Aqui fica o artigo para poderem ler e acompanhar.

Voltar a unir - parte 4 (final)

Seja com o desconforto de Jonas, seja com o entusiasmo de quem encontra um lugar familiar e acolhedor, o sussurro divino é soprado de modo a que não ressaltem dúvidas.

Que assembleia integrar? Aquela que for escolhida para nós.

Termino agora um percurso de duas décadas. Outro começa com uma nova compreensão. Breve ou definitivo, certamente inesperado, espero que o percorra como me for pedido por Deus. Nada me  parece mais importante.

Esta série de posts é dedicada ao meu irmão Pedro. O seu exemplo tem sido uma luz no meu caminho e foi fundamental, sem que ele o soubesse, para este meu entender. 

Prioridades

Concretizar Estratégia LGBTI é “tarefa e prioridade” da presidência portuguesa da UE

E eu, enquanto cidadão daqui, pergunto: Porquê? Os votos dos eleitores portugueses chegam para mandatar isto? (O facto de "Estratégia" começar com maiúscula já diz tanto!)

Enquanto não chega uma rajada de apupos da minoria barulhenta, proponho uma "tarefa e prioridade" menos populista, mas de certeza mais popular:

"Concretizar Estratégia da erradicação da pobreza e fomentar desenvolvimento social é tarefa da presidência portuguesa da UE".

(Eu é que vos dava reforma milionária ao fim de dois mandatos, dava...)

Voltar a unir - parte 3

A religião cristã atomizou-se em centenas de milhares de assembleias diferentes. A pertença a cada uma delas passou a estar condicionada por escolhas baseadas no desconforto. Confundindo a ideia de comunhão com concordância teológica, o materialismo impos-se entre muitos cristãos, implícito na ideia de que qualquer tipo de sofrimento ou contrariedade dentro da igreja não pode fazer parte do plano divino para o indivíduo.

Tendo em conta a fragilidade das assembleias, e talvez pretendendo pureza da sua própria religiosidade, o crente individualista e solitário diz que aquelas não servem porque são corruptas e impuras para si. Vivendo a sua fé de um modo privado, evitando assim o contraditórios e as dificuldades da partilha, fechado em si mesmo por vaidade ou ignorância, contribui mais para o desaparecimento da religião da sociedade do que aqueles que não são cristãos.

A dificuldade serve para valorizar. Se a valorização de uma igreja por parte do indivíduo vem de conforto da comunhão,  é bom que venha também da dificuldade em lhe pertencer. Ser-se filho da Luz implica alumiar e lutar contra as trevas, o que pode não ser confortável. A opção de ser Luz dentro da própria assembleia é tanto ou mais necessária quanto a de o ser no mundo. 

Para que a cultura possa vencer a sua crise de significado é fundamental que os cristãos voltem a participar, certificando-se de que isso seja, de algum modo, difícil. É que o amor dói.

(continua)

Voltar a unir - Parte 2

A cultura ocidental experimenta uma carência aguda de significado. Como se explica tanta doença mental e falta de esperança?  As necessidades básicas, tendo sido satisfeitas, deveriam ter trazido um bem estar universal. O materialismo foi, e é, mas já não faz sentido continuar a acreditar nele como única opção disponível. As ideologias foram incapazes de trazer significado, embora continuem a tentar, desesperadas. E quanto à ciência, esta nunca teve esse papel, embora lho tivessem querido atribuir.  

À Humanidade mais próspera de sempre falta um sentido de transcendência que traga significado, que só a religião pode dar.

(continua)

 

Capeta dos Quintos dos Infernos

Tinha coisas marcadas para este Sábado de manhã. Mas por causa da chuva tudo foi desmarcado em cima da hora.

Depois de um produtivo passeio a pé e sem qualquer vontade para fazer alguma outra coisa, acabei por aterrar em frente à televisão.

Fui zappeando. Sem surpresa, a única oferta decente era desporto. Um jogo de ping-pong interessante do Campeonato do Mundo na Eurosport, e depois as equipas femininas do Sporting nos futebóis. A de futsal na Sporting TV, e a de futebol, também para o campeonato, contra o éssélbê, na 11. Fui alternando.

Como era de esperar e desejável, o SCP ganhou os dois jogos. Mas não se pense que foi tudo fácil. O cinco da Venda da Luísa fez a vida negra ao Sporting até dez minutos do fim. Mesmo assim ganhámos por 7-1, o que sempre é um resultado perfeito!

Pág. 1/2

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D