Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Small Church

Small Church

Desaceleração nómada


Cheguei nesse dia a casa e encontrei o olhar triste do meu irmão a dizer-me que eu merecia melhor do que trabalhar no minipreço. Acreditei, com o mundo vibrando à minha volta, por alguém acreditar mais em mim do que eu (lembras-te Miguel?)
Debrucei-me sobre o bebé e dei-lhe um beijo na testa, prometendo-lhe, jurando-lhe no seu sono e na confiança dos meus nove anos, que seria seu amigo para sempre, que não se preocupasse por estarmos os dois sozinhos nessa noite na Casa Grande, com a espessa escuridão de Água de Madeiros e os pais lá fora, na colina, na Capela, no negro depois dos pinheiros (como poderias lembrar-te, Zé? Tem sido bom manter a promessa)
Enquanto rodo a mais pequena, o tempo suaviza-se de modo a poder dizer-me mais qualquer coisa. O seu sorriso de cinco anos é uma melodia escrita para me lembrar o que a vida sobretudo é: simples quando pode. Devo segui-la, mesmo surpreso com a desaceleração de tudo, com o silêncio cantante dos pequenos sopros, dos gestos sem peso, do mover-se das folhas e das pessoas.


Sou um caminho para outros, mas acordo com um medo: o que será de mim quando minha mãe deixar de orar pelos seus filhos?

Nem Sei Que Diga...

"Bloco de Esquerda não entende instabilidade criada por medida que não mexe no Orçamento"
(Catarina Martins, ver aqui.)

Então quer dizer que 800.000.000 euros não mexem no orçamento... Há coisas tão óbvias que nem vale a pena comentar. Melhor: o único comentário é a ausência de comentário.

Bem, há uma vantagem nestas palavras. Quando não houver como pagar a enfermeiros, médicos, professores, bombeiros, camionistas de materiais perigosos, informáticos, cabeleireiros, varredores de ruas, futebolistas e calistas; quando ninguém conseguir pagar os empréstimos que contraiu a um juro aberrante e isto rebentar outra vez com o FMI a esfregar as mãozitas atrás das costas (caraças, que só me vem à memória os dois meses que faltavam até à bancarrota de há poucos anos passados), já sabemos à porta de que partido devemos bater.

---

"demagogia", https://dicionario.priberam.org/demagogia
substantivo feminino
1. Preponderância do povo na forma do governo.
2. Abuso da democracia.
3. Dominação tirânica das facções populares.
4. Discurso ou acção que visa manipular as paixões e os sentimentos do eleitorado para conquista fácil de poder político.

A evolução do Drama e o seu papel na actividade política nacional

A esta hora o Governo está reunido. Diz-se estar sobre a mesa a hipótese de demissão e convocação de novas eleições.

Ao fim de quatro décadas de caça ao voto do funcionalismo público, até o partido socialista já assume que é impossível honrar a totalidade dos compromissos assumidos com os cidadãos. O que está em causa são 800 milhões de euros ao ano que são devidos aos professores. Faltarão agora todas as restantes classes profissionais ligadas ao Estado, numa estimativa de mais 200 ou 300 milhões por ano.

Não é só o facto de ter um partido comunista com assento parlamentar que faz de Portugal um caso bizarro. É também, apesar das evidências, a vontade da opinião pública em desejar um Estado cada vez mais gordo.

Nada irá mudar. Os políticos portugueses de sempre continuarão a dirigir Portugal, esta forma de negócio ruinoso com 10 milhões de envolvidos em que basta atribuir ao sócio irresponsável as razões de cada fracasso para ficarmos de consciência tranquila.    

Maratona e Mafalda

Terminei a minha segunda maratona. Não alcancei nenhum dos três objectivos que me levaram à partida da prova mas, em contrapartida, aprendi o significado da palavra exaustão. Primeiros trinta quilómetros demasiado fáceis, deslumbramento, “porque não forçar um bocadinho?”, e… bum, estouro monumental. Por essa altura ainda faltava uma hora e tal para a meta e a luta, acreditem, foi penosa. Mas cheguei. Quando me deitei na relva, logo depois, tinha alargado consideravelmente o meu entendimento da palavra exaustão. Sempre a aprender, filosofei eu, ou, como diria o Manelinho, é preciso “valorizar os pequenos lucros das grandes perdas”.

MaratonaMafaldaPB.jpeg

 

Pág. 3/3

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D